ESCOZUL - CANCER

 


 
+ Os resultados que se apresentam nessa seção foram obtidos pelos laboratórios cubanos LABIOFAM so longo de 16 anos de pesquisas, quando ainda ofereciam ESCOZUL aos pacientes doentes com câncer. Já não é mais assim, agora comercializam uma versão homeopática que não conta com as propriedades aqui demonstradas e que tem sido registrado como analgésico.
ESCOZUL antitumoral

Informações básicas

+ O ESCOZUL possui três propriedades fundamentais demonstradas pelos resultados tanto dos ensaios preclínicos como pela evidência médica. É um produto anticancerígeno, analgésico e antiinflamatório. Tem sido liberado para seu uso porque os resultados obtidos em pacientes com câncer são realmente promissórios e não tem efeitos secundários.

+ Atualmente, a investigação das suas propriedades terapêuticas não é objetivo do governo cubano toda vez que decidiram comercializar uma versão homeopática que somente tem propriedades analgésicas.

+ Todos os resultados da investigação sobre o ESCOZUL têm sido apresentados em fóruns e eventos científicos e são sobre a investigação da fórmula original concentrada, não sobre a fórmula homeopática.

+ O efeito antiproliferativo celular do ESCOZUL manifesta-se claramente nas linhas de tumores experimentais. Isso significa que o ESCOZUL detém o crescimento celular do tumor. Os experimentos realizados in vitro e em ratos têm tido resultados similares.


+ Nas instituições cubanas erão atendidos mensalmente mais de 2.000 pacientes de câncer usando o ESCOZUL. Dentre os casos mais significativos encontram-se 187 pacientes que ao começarem o tratamento com ESCOZUL tinham prognóstico médico de poucos meses de vida e têm sobrevivido por mais de oito anos com uma qualidade de vida muito boa. No momento todos os pacientes que desejam se tratar com ESCOZUL vão com os produtores independentes cubanos que têm atendido mais de 50 000 pacientes por mais de 20 anos .

+ Segundo as investigações realizadas, 90% dos pacientes têm referido uma melhora na qualidade de vida após dois ou três meses de tratamento.

ESCOZUL investigación

Investigação sobre ESCOZUL

+ Existem atualmente uma importante quantidade de resultados experimentais sobre a atividade farmacológica do veneno do escorpião R. junceus. Uma variedade de modelos preclínicos confirmam as grandes potencialidades do veneno do escorpião cubano como adjuvante no tratamento de doenças neoplásicas. Aparecem resumidas a seguir :

Avaliação farmacológica.


A maioria dos pacientes tratados apresenta tumores de mama (23.45%), próstata (17.86%), pulmonares (8.87%), coloretais (8.72%) e cerebrais (8.21%). Existe um amplo registro dos efeitos positivos do ESCOZUL em pacientes com câncer. Mais de 25 000 pessoas têm relatado melhoras depois de terem sido tratadas com ESCOZUL, incluindo pessoas nas quais a terapia convencional não teve efeito positivo. Desde o ponto de vista clínico, 90% dos pacientes referiram uma melhora na qualidade de vida após dois ou três meses de tratamento com ESCOZUL, que se manifesta na reaparição ou melhora do apetite, na diminuição da inflamação e na diminuição significativa da dor, o que permite que o paciente volte à sua rotina de vida.

+ Os efeitos do tratamento manifestam-se gradualmente e irão depender da concentração na qual seja indicado o ESCOZUL, segundo o estado de saúde do paciente. Os primeiros sintomas de que o medicamento está funcionando são a diminuição da dor e a reaparição do apetite e do sono. Isso constitui uma melhora importante na qualidade de vida. Após um tempo de tratamento observa-se uma diminuição da atividade metabólica do tumor e uma diminuição progressiva dos marcadores tumorais, pondo em evidência a atividade antiproliferativa do medicamento. Esses efeitos se traduzem num maior tempo de vida.


Avaliação dos efeitos tóxicos do veneno quando ministrado de forma oral.


O ESCOZUL não tem nenhum efeito tóxico secundário ao ser ministrado por via oral. Tem se realizado experimentos em ratos aos quais foram ministradas diferentes doses de ESCOZUL (0 mg/Kg, 5 mg/Kg, 50 mg/Kg e 300 mg/Kg) pela via oral durante 14 dias. Nesse período foram observados distintos sinais clínicos tais como: atividade motora, reflexos, convulsões, salivação, sedação, sonolência, estado da pele, das mucosas, dos olhos e outros órgãos. Foi demonstrado que não houve mortalidade, perda de peso, nem alterações nos órgãos internos. Foi sim observada sedação, um leve retardo na locomoção e diminuição dos reflexos. Pode-se afirmar que é totalmente inócuo quando ingerido pela via oral.

Avaliação da atividade analgésica do veneno do escorpião azul (elimina a dor).


ESCOZUL analgésicoSim, o ESCOZUL elimina a dor. No gráfico se observam os resultados do modelo experimental da analgesia química. Foram examinados seis grupos de ratos de laboratório submetidos a diferentes concentrações de ESCOZUL, um grupo controle positivo (+) submetido à ação do paracetamol e um grupo controle negativo (-) sem analgésico nenhum. Foi-lhes induzida dor através de injeção de ácido acético e foi contado o número de contorções que os ratos sofreram em dez minutos. O número de contorções é indicador da dor. As letras diferentes dentro das barras indicam as diferenças estatísticas significativas no número de contorções entre os tratamentos, pelo contrário, quando as letras são iguais significa que não existe diferença entre os tratamentos. Assim pode se observar que o ESCOZUL tem atividade analgésica e que não existem diferenças entre os efeitos dos tratamentos com paracetamol, 5, 10, 15, 20 e 50 mg/Kg de ESCOZUL. No gráfico é indicada a percentagem de inibição das contorções para cada tratamento. Pode-se observar que os tratamentos com altas concentrações de ESCOZUL podem chegar a inibir ate 55% da dor. Essa experiência com ratos poderia explicar por que os pacientes de câncer tratados com ESCOZUL referem uma diminuição da dor.

Avaliação da atividade antiinflamatória do veneno do escorpião azul em modelos experimentais de inflamação aguda.


ESCOZUL antinflamatorioPodem se observar no gráfico os resultados do modelo experimental antiinflamatório agudo. Foram examinados três grupos de ratos de laboratório submetidos a diferentes concentrações de ESCOZUL ministradas pela via oral, um grupo controle positivo (+) submetido à dexametasona e um grupo controle negativo (-) sem antiinflamatório nenhum. Foi-lhes induzida inflamação artificialmente e foram avaliados os efeitos levando em consideração o peso dos ratos. As letras diferentes dentro das barras indicam diferenças estatísticas significativas no peso entre os tratamentos, pelo contrário, os tratamentos com letras iguais indicam que não existem diferenças entre os mesmos. Assim pode se observar que o ESCOZUL possui atividade antiinflamatória e que não existem diferenças entre os efeitos dos tratamentos com 5, 10 e 20 mg/Kg de ESCOZUL. No gráfico é indicada a percentagem de inibição da inflamação para cada tratamento. Pode se observar que os tratamentos com altas concentrações de ESCOZUL podem chegar a inibir até 38% da inflamação. Essa experiência com ratos poderia explicar por que os pacientes de câncer tratados com ESCOZUL referem uma diminuição da aparição de edemas e inflamações.

Avaliação da atividade antiproliferativa em cultivos de linhas celulares tumorais in vitro.


ESCOZUL antiproliferativoO gráfico apresenta a percentagem de crescimento celular em diferentes cultivos celulares de linhas tumorais ao serem tratados com distintas doses de ESCOZUL. Pode se observar que em doses maiores do ESCOZUL a proliferação celular é menor. A maior diminuição foi obtida para as linhas celulares de pulmão e laringe.

Avaliação da atividade antitumoral em tumores de camundongos in vivo.


ESCOZUL antitumoralO seguinte gráfico mostra o comportamento do crescimento tumoral em quatro grupos experimentais submetidos a diferentes doses de ESCOZUL. Observa-se que quanto maior é a dose do ESCOZUL mais se retarda o crescimento do tumor. O resultado nos modelos experimentais in vivo como tumores implantados demonstram que o veneno é capaz de diminuir significativamente a progressão tumoral e é mais efetivo no câncer pulmonar.

+ ESCOZUL antiproliferativoEntão, como é que age o ESCOZUL? Não há uma idéia certa do mecanismo de ação anticancerígeno do ESCOZUL. Existem diversas teorias sobre uma possível ação através de um efeito imunomodulador, ou como inibidor da angiogênese ou potencializando a apoptose. Os pesquisadores cubanos explicam que primeiramente o ESCOZUL rodeia o câncer com proteínas que detêm o seu crescimento. Essa primeira ação faz com que o câncer não possa mais se expandir. Depois o ESCOZUL inibe o crescimento dos vasos sanguíneos ao redor do câncer, ação conhecida como inibição da angiogênese. Isso provoca a morte das células tumorais já que as mesmas não são capazes de viver sem os nutrientes que lhes chegam através do sangue. É claro que quando o câncer está muito expandido é mais difícil cercar e matar as células tumorais. É por isso que os pesquisadores dizem que o ESCOZUL trabalha melhor quando usado em estágios iniciais da doença, mas como já foi dito, pacientes com câncer terminal têm sobrevivido por mais de quatro anos tomando ESCOZUL!

Caracterização bioquímica do veneno do escorpião azul Rhopalurus junceus.


Essa investigação encontra-se ainda em andamento e os resultados se mantêm sob proteção. O objetivo dessa investigação é a identificação do princípio ativo contido no veneno do escorpião azul visando o sucesso no processo de síntese. Até onde se sabe, o princípio ativo está composto por peptídeos ao invés de grandes proteínas.